Viv’alma: A alma que nos anima.
Constelações da roda da vida.
Um curso para desbravar o potencial humano e ir além.

No meio psicoterapêutico, vários estudiosos desenvolveram métodos de acessar bloqueios e traumas a fim de minimizar seus efeitos na vida das pessoas. Bert Hellinger combinou e aprimorou tais metodologias, nomeando constelações familiares uma forma de representar o cliente e membros de sua família por meio de outras pessoas. A capacidade empática que o ser humano tem em condições normais possibilita que representantes escolhidos aleatoriamente possam perceber e revelar os fenômenos ocultos, inconscientes que impedem que alguém seja bem realizado em sua vida. As constelações surgiram na década de 80, passaram a ser utilizadas nos meios organizacionais e recentemente pelo direito. Na área clínica, no Brasil, a prática é reconhecida pelo SUS. As bases teóricas que embasam as constelações são a fenomenológica-sistêmica (campos morfogenéticos), a epigenética (traumas transgeracionais) e a neurologia (neurônios-espelho). Atualmente, são utilizadas em sessões de orientação individual ou em grupo. As Novas constelações são a versão aprimorada por Brigitte Champetier de Ribes. Nessas, os movimentos dos representantes são muitos lentos, a postura do constelador, o facilitador do processo, é a mais ética e neutra possível, não interventiva e os representantes e constelado – o cliente, permanecem em absoluto silencio até que, pela observação e percepção do desenrolar dos movimentos, revelam-se as origens do problema até a solução possível no momento, seja na direção de reconciliar polaridades opostas – vítimas e perpetradores – entre ancestrais com os quais o cliente está em ressonância e/ou liberá-lo de sua identificação com excluídos de seu sistema familiar. O avanço deve-se ao fato de que os representantes ficam livres de papéis pré-determinados, aprofundando e alcançando conflitos muito remotos. Nos grupos, o cliente pode manter total sigilo sobre o que o motivou a buscar orientação e prescinde de interpretações, uma vez que o processo é sensório-corporal. Enxergar os problemas sob outro ponto de vista e de fora da situação proporciona um efeito imediato no cliente. Os insights que surgem no fenômeno da constelação mudam sua postura diante da vida e o libera dos traumas, na medida que ele desenvolve um outro olhar sobre estes. Os resultados a longo prazo são empíricos, pois não há metodologia para mensurar os efeitos após uma constelação, dado que não se trata de terapia com acompanhamento posterior. A experiência mostra que o processo de aprender e praticar o método seja como constelador, representante e cliente é mais eficaz do que ser apenas constelado, pelo aprofundamento e continuidade, mantendo os benefícios alcançados. A sociedade humana sempre necessitou que as pessoas se desenvolvam individual e coletivamente a fim de parar de repetir padrões cíclicos destrutivos. Nesse contexto, a sensibilidade do olhar sistêmico permite que o aluno, além de alcançar muito mais qualidade de vida, torne-se um agente inspirador de mudança no seu meio familiar/social pela sua nova postura observadora, sem julgamentos, absolutamente centrada e amadurecida intelectual e emocionalmente.

Outra grande contribuição às constelações vem de Daan van Kampenhout que acompanhou Bert Hellinger no início de seu trabalho e usa os rituais dos xamãs tradicionais da Sibéria e dos índios norte-americanos no trabalho que ele nomeou rituais sistêmicos. A roda das quatro direções, a visão interna e externa, os ciclos da vida,  o mover-se no tempo cíclico ao som da voz e do tambor de Daan transformaram as constelações em um ritual de cura e de muito amor. Estamos em ressonância não só com nossos sistemas familiares, mas com toda a natureza.

A proposta do Viv’Alma: Descobrir o constelador interno

 

Eu, Silvana Garcia,  fiz treinamento e supervisão com o próprio Bert Hellinger na Alemanha por umas 250 horas entre 2012 e 2015; mais de 450 horas com Brigitte Champetier de Ribes da Espanha, no Brasil, e continuo em treinamento e supervisão contínua com ela desde 2014, já tendo o título de maestria nas Novas Constelações. Com Daan Van Kampenhout, levei 15 alunos para fazer um treinamento com ele em Barcelona em julho/2019.

Continuarei fazendo o seu treinamento no exterior e há planos de trazê-lo ao Brasil no ano que vem. Dei duas turmas fechadas de formação para consteladores em São Carlos, módulos sobre Saúde no Espaço de Ser em Uberlândia, a convite de Deise Carvalho e na Universidade Caxias do Sul, como professora convidada no I curso de pós graduação em constelações sistêmicas no Brasil, a convite de Maria Justina Mottin Nunes, contribuindo na formação de centenas de consteladores. Descobri nas constelações e nos três professores que mais admirei o trabalho(Bert, Brigitte e Daan), entre dezenas de outros excelentes professores com os quais tive grandes aprendizados, uma ideia sobre o aprender a ser constelador.

Um constelador não aprende a ser constelador num curso. O curso oferece a oportunidade da pessoa descobrir o constelador dentro de si, na medida que as experiências proporcionam que o aluno vivencie o pensamento e agir sistêmico na sua vida.

Com esta compreensão, resolvi oferecer um curso num formato diferente em São Carlos, indo na contramão dos modismos pelos quais caminham as constelações atualmente. Quando um método fica em destaque, o ponto negativo é surgirem muitas pessoas interessadas apenas na profissionalização imediata. Portanto, darei um curso mais extenso para não atrair oportunistas, mais acessível financeiramente, mais livre para aqueles que vem de outras cidades, mas com muito mais possibilidade de vivências para aqueles que são da cidade ou região. Tornar-se constelador será uma consequência possível, não um objetivo.

Objetivos do curso: trabalhar intensamente por meio de diferentes formas de constelações sobre sua história de vida, seu sistema familiar e o que mais surgir. Ao longo deste trabalho, o aluno poderá sentir-se capacitado a atuar como constelador, integrando teoria e prática, mas o objetivo principal é acima de tudo, possibilitar ao aluno ampliar a visão biopsicossocialespiritual, desenvolvendo um olhar, pensar e agir sistêmico para atender a demanda de diferentes segmentos da sua vida pessoal e profissional, sendo um multiplicador deste tema ao seu redor. Apenas com uma profunda empatia, por si e pelo outro, é possível compreender o universo dito espiritual do ser humano, que inclui tudo e todos como são, mesmo os que já se foram, mas que ainda deixaram seus rastros de sofrimento, bem como seus dons e talentos nas gerações subsequentes.

 

Público Alvo: Qualquer um que esteja interessado em ver além do óbvio, em explorar seu potencial humano e ir além.  Acima de 18 anos, sem pré-requisitos de formação anterior.

Subtemas abordados: Percepção e intuição. Centramento. Estar presente e em sintonia com os demais. O campo quântico e a ressonância mórfica. Tipos de sentimentos: Primários, Secundários, Adotados, Meta sentimentos. Estar no Adulto: modelos e identificações. O sistema familiar, cultura e modelagem. Transgeracionalidade. Traumas de nascimento. Tomar a mãe e o pai enquanto uma unidade. Movimento interrompido em direção a mãe. As comunidades de destino. O casamento. Os filhos do divórcio em novos casamentos. Homo e heterossexualidade. Instâncias psíquicas: Criança, Pais Críticos e Nutritivos e o Adulto.  Posturas existenciais de vítima, salvador e perseguidor. Comunicação não-violenta entre adultos. Perpetradores e vítimas. A doença como metáfora dos emaranhamentos sistêmicos. Direito de pertencimento. Respeitar a ordem da hierarquia. As ordens do equilíbrio entre dar e receber. Equilibrar o dar e receber amor. Equilibrar o fazer e receber um dano. Compensação arcaica ou compensação adulta. Os limites entre dar e tomar. As consciências: pessoal, coletiva, inconsciente (arcaica) e universal. Reconciliar ao invés de perdoar. Destino individual e coletivo. Desenvolvimento da personalidade. As emoções básicas. Script de vida. Movimento em direção ao sucesso profissional. O profissional e a postura ética. Diagnóstico com bonecos no atendimento individual e atendimento com âncoras como representantes. O profissional e o cliente. O profissional e o grupo de participantes. As frases libertadoras dos padrões repetitivos. Desenvolvimento da constelação: como iniciar e quando interromper, como encerrar e a devolutiva.

 

Desenvolvimento do curso: O aluno pode compor seu curso conforme sua preferência. Ao completar 143 horas, recebe o certificado de Treinamento básico em constelações. Ao completar 200 horas e entregar por escrito suas Tomadas de consciência ao longo do curso, recebe o certificado de Facilitador nas Novas constelações. As tomadas de consciência são um texto simples que elucide os temas principais e seu crescimento no decorrer do aprendizado.

 

Para compor 200 horas, o aluno deverá:

 

1) Frequentar 22 workshops. Ocorrem num sábado a cada dois meses em São Carlos, SP, das 13 às 19:30h. Em cada workshop há teoria e prática, na qual todos alunos são trabalhados, alguns são constelados e muitos podem exercitar ser consteladores, caso desejem.
Valor: R$ 240,00 cada (até dezembro de 2020. A partir de 2021, o valor será de 260,00).
Carga horária: 143 horas no total.

 

2)  Frequentar 19 grupos de constelação, no qual será representante em diversas constelações e será constelado algumas vezes. Ocorrem quinzenalmente, às quintas, das 19 às 22h. No mês que tem workshop no sábado, só tem um grupo de constelação.
Valor: R$30,00 cada.
Carga horária: 57 horas no total.

 

Caso o aluno seja de outra cidade e só frequente os 22 workshops, mas não consiga vir nos Grupos de constelação, recebe um certificado de Treinamento básico (143 horas). Pode ir cursando os workshops novamente e, ao completar as 200h, recebe o certificado de aptidão para ser facilitador em constelações. Poderá frequentar os workshops mesmo faltando em alguns deles, ainda assim receberá o certificado correspondente ao completar a carga horária. O aluno pagará cada workshop uma semana antes e o grupo de constelações no dia. Só pagará quando vier, mas se pagar antes, no caso do workshop e faltar, não há reembolso. O valor será direcionado para o próximo workshop.

 

Frequência livre:

 

Qualquer um pode cursar os workshops de forma independente. Cada um é independente do outro. Podem ser frequentados de forma não-sequencial e não-vinculados a formação. Ou seja, não precisa ter como objetivo completar carga horária para ser facilitador em constelações, mas de forma avulsa apenas para seu desenvolvimento pessoal.

 

Temas dos workshops:

1. Amor próprio: a relação com Si mesmo. Data prevista: 3/8/19

2. Vazio criador: a serviço da Vida em abundância. Data prevista: 19/10/19

3. Campos mórficos: os laços invisíveis que nos atam e desatam.

4. Mãe: o primeiro vínculo com a vida.

5. Ordens da abundância: eu posso, eu mereço, eu consigo.

6. Pais: o primeiro exemplo de casal.

7. Ordens do amor: a relação com o outro.

8. Ordens da realização profissional: os talentos herdados e realizados.

9. Ordens da ajuda: as posturas existenciais.

10. Resistências e traumas: os mecanismos de proteção.

11. Consciência moral e crenças: perpetradores e vítimas no passado e em Si.

12. Relacionamentos amorosos: ter ou não parceiros.

13. Relacionamentos afetivos: a família expandida.

14. Sexualidade: a expressão máxima de vínculo.

15. Filhos: gestações, abortos, infertilidade, criação.

16. Sistema respiratório e circulatório: a troca entre dar e receber.

17. Sistema imunológico e endócrino: equilíbrio interno e externo.

18. Sistema digestivo e excretor: desapego e transformação.

19. Sistema reprodutor: ser mãe e pai.

20. Sistema osteomuscular e nervoso: mover-se em direção a realização dos desejos da alma.

21. Saúde mental e paz: a transcendência espiritual

22. Ser constelador na vida: postura ética de um pensador sistêmico.

 

Professora: Silvana Garcia. Psicóloga e Doutora em Educação Especial (UFSCar), Consteladora Sistêmica desde 2011 (250 horas com Bert Hellinger na Alemanha  – Hellingerschule), 450 horas com Brigitte Champetier de Ribes (Insconfa, Madrid/Sunya, São Paulo, título de maestria nas Novas constelações) e mais 1000 horas com professores brasileiros e estrangeiros. Muitos deles trazidos pela Conexão Sistêmica, São Paulo/Alemanha. Diversas formações em terapias complementares. Experiência clínica de 20 anos com atendimentos individuais, casais e família com psicologia humanista (formação em Análise Transacional e Logoterapia). Desde 2012 facilita grupos de constelações. Desde 2017 dá formação nas Novas constelações em São Carlos. Professora convidada na Universidade Caxias do Sul na pós-graduação em Constelações sistêmicas e no Espaço de Ser, Uberlândia. Fundadora do espaço Essencial terapias, cujos alunos formados em constelações já estão iniciando atuações no direito e na educação sistêmica. Dá supervisão a estes alunos no Grupo de Educação Sistêmica e na OAB/São Carlos, junto aos advogados sistêmicos. Organiza cursos e workshops trazendo profissionais de fora da cidade para complementarem a formação de seus alunos. Em 2019, organizou a I Jornada Sistêmica, com diversos consteladores convidados de diferentes estados brasileiros na área da saúde, direito e educação na UFScar para divulgar e ampliar o pensamento sistêmico em prol de uma cultura da paz.

 

Dentro de cada ser humano há um universo infinito de potencialidades e possibilidades. As constelações são um drone que ligamos para ver além do óbvio. O Viv’alma é um curso que liga este drone, quebrando nossos paradigmas sobre a realidade, nos conectando com a alma que nos anima, nos movendo na roda da Vida.  (Silvana Garcia)